Ben Mudrak, PhD

Ben Mudrak, PhD

PhD, Molecular Genetics and Microbiology
Duke University

Categorias Populares

Escrevendo um artigo

Toques finais

Escolhendo uma revista

Revisão por pares e publicação

Processo de pesquisa

Etica de publicação

Página inicial | Compartilhando a sua pesquisa

Como Escrever uma Proposta de Auxílio à Pesquisa Que Conseguirá Financiamento

Resumo

Perguntamos a diversos professores bem-sucedidos sobre dicas para escrever solicitações de auxílio à pesquisa para ajudar a aumentar suas chances de conseguir financiamento.

Apesar de todo pesquisador buscar responder grandes questões e fazer novas descobertas, nem todos se animam com o longo caminho até lá: garantir financiamento para a sua pesquisa. Mesmo com bilhões gastos em pesquisa em todo o mundo, há concorrência significativa por recursos. Para lhe ajudar a elevar suas chances ao máximo, conversamos com diversos professores experientes nos EUA, com anos de sucesso na obtenção de financiamento, para verificar suas sugestões. Aqui estão algumas de suas dicas:

1. Comece pelas pessoas

Colegas e mentores que podem lhe dar sua opinião são seu melhor recurso. Encontre-os o quanto antes. Peça o máximo de opinões possível de pesquisadores em sua instituição e colaboradores, pois eles terão de abster-se do processo de revisão da proposta de qualquer maneira. Concentre-se em investigadores experientes da sua instituição que submeteram com sucesso propostas para fontes de financiamento nas quais você está interessado. Além disso, encontre alguém de fora da sua área de pesquisa que estaria disposto a rever sua proposta. Eles irão ajudar a garantir que seus objetivos e abordagens são claras mesmo que o leitor não esteja familiarizado exatamente com sua especialização.

Além disso, é importante entrar em contato com a unidade responsável pelos financiamentos na sua instituição, se houver. (Nos EUA, estas unidades normalmente se chamam Unidade de Pesquisas Patrocinadas [Office of Sponsored Research ] ou Unidade de Administração de Pesquisas [Office of Research Administration]. A equipe na unidade de financiamento será capaz de ajudar-lhe a encontrar outros subsidiados sua instituição e planejar seu cronograma.

  • Até quando a proposta deve ser apresentada à entidade financiadora?
  • Quando sua instituição precisa do rascunho final?
  • Você precisa apresentar uma proposta preliminar ou carta de intenção? Se sim, quando?

2. Ideias, ideias

A parte divertida do processo de solicitação de auxílio à pesquisa é elaborar ideias inovadoras. Seu maior obstáculo é ter certeza de que suas ideias são únicas. Utilize bancos de dados de auxílio à pesquisa, como os listados abaixo, para procurar propostas que tiveram sucesso. Se isso não for possível, certifique-se de que sua abordagem não existe ainda na literatura de sua área. (Nota: Esta é uma lista de referências baseada principalmente nos Estados Unidos, mas a busca pode ajudar a verificar se sua abordagem já foi utilizada.)

3. Escrevendo a proposta

Como escrever uma proposta de auxílio à pesquisa que conseguirá financiamento

Escrever uma proposta de auxílio à pesquisa não é fácil, mas é claramente o passo mais crítico. Aqui estão algumas sugestões de nosso grupo de professores: Comece estabelecendo objetivos eficazes. Ouça opiniões neste estágio – os objetivos são possíveis de alcançar? São interessantes? Você pode demonstrar que é o melhor candidato para atingi-los? Certifique-se também de que seus objetivos são “SMART” (Specific, Measurable, Achievable, Realistic, Time-sensitive [Específicos, Mensuráveis, Atingíveis, Realistas, e em Prazos Adequados]).

Escreva com antecedência um rascunho do resumo para circular entre aqueles que irão ler sua proposta de auxílio, mas não se esqueça de terminar a versão final. Nela, defina claramente o problema que será abordado em seu trabalho, defina os objetivos para resolver este problema e descreva como isso será feito.

Se o seu resumo não prender a atenção de um revisor, você perderá espaço para outras propostas de auxílio.

Seja específico e descritivo na seção de Métodos / Desenho Experimental. Certifique-se de que os colegas que forem revisar sua solicitação não tenham dúvidas em nenhuma seção. Dependendo da proposta, destaque também o pessoal que será responsável pelos experimentos, e não apenas os métodos propriamente ditos. Se necessário, inclua informações sobre onde e quando certo experimento será feito. Se você for utilizar um estabelecimento central muito grande, mencione que você já tem hora reservada no local e que foi treinado apropriadamente.

O espaço é limitado; cite artigos publicados (de preferência que sejam seus) sempre que possível. Porém, ao mesmo tempo que citar artigos economiza espaço, é possível que confunda revisores que não se deem ao trabalho de ler os artigos antigos. Por isso, tenha certeza de incluir o que for necessário para que os revisores entendam a sua proposta de pedido de auxílio. À medida que os métodos são descritos, certifique-se de que o texto indique que você é a pessoa mais adequada para realizá-los.

Dados preliminares são um fator importante de qualquer solicitação de auxílio à pesquisa, mas onde posicioná-los varia de acordo com a instituição. Leia propostas anteriores bem-sucedidas para verificar onde os dados foram colocados. Tente colocar uma parte dos dados em cada página. Recursos visuais ajudarão manter o revisor focado e criar uma boa impressão sobre seu preparo.

Acima de tudo, escreva para seu público. Use termos usados na Solicitação de Propostas ou na descrição do auxílio à pesquisa, especialmente os verbos. Verifique também a descrição da missão da instituição para garantir que a descrição de sua pesquisa fará referência aos objetivos dos financiadores. Se você conseguiu identificar alguns pesquisadores que foram beneficiados anteriormente pela instituição de seu interesse, utilize a terminologia e os estilo de transmissão de informações dessas propostas bem-sucedidas.

4. Colaboradores

Se uma outra pessoa é mais adequada para realizar um determinado experimento, aceite sua ajuda. Ter colaboradores fortes transmite confiança às agências de financiamento, dando-lhes a certeza de que você está ciente do que está envolvido nos experimentos que você propôs. Ao mencionar uma colaboração, tente encontrar protocolos que o seu colaborador tenha publicado. Você economizará espaço e deixará claro o sucesso anterior. Se ele não publicou o método, obtenha dele uma descrição clara e completa.

Sempre inclua uma carta de apoio do colaborador declarando seu interesse em ajudá-lo com o experimento em questão. Algumas instituições pedem especificamente estas cartas, mas inclua uma mesmo se não for solicitado (ou pergunte à instituição sobre onde incluí-las).

5. Processo de submissão

Leia as instruções cuidadosamente! A maioria das instituições recebe inúmeras solicitações, e pequenos erros podem ser usados como desculpa para rejeitar o seu pedido. Siga cuidadosamente o prazos estabelecidos. Obtenha antecipadamente o feedback de seus colegas para que haja tempo de mostrar-lhes suas alterações.

Comunique-se com a instituição de auxílio por todos os meios. Isso permitirá que você

  1. entenda melhor os objetivos da instituição para a proposta,
  2. pergunte sobre a troca de seções de estudo ou tipos de auxílio, se necessário,
  3. peça recomendações sobre ressubmissão ou descarte de uma proposta que seja incerta e
  4. entenda melhor o que aconteceu durante a revisão e o que os comentários dos revisores realmente querem dizer.

Se necessário, solicite que a instituição evite determinados revisores que possam ter conflito de interesses. Algumas instituições permitem que você recomende bons revisores, outras não. Novamente, a comunicação com um representante da instituição vai ajudar nisso.

6. Suas revisões

Sempre responda a todas as perguntas em suas revisões, mesmo se o espaço for limitado. Você não tem que concordar com tudo, mas certifique-se de que não esteja dando a impressão de estar ignorando algum comentário. Se qualquer revisão estiver incorreta, aproveite a oportunidade para deixar certas seções da proposta mais claras. Se você receber uma pontuação baixa, mas poucos comentários, é possível que o revisor não tenha se impressionado. Pergunte a alguém na instituição se valeria a pena voltar a submeter a proposta.

Se você recebeu uma pontuação boa, mas muitos comentários, escolha sua batalha. Seja diplomático em sua resposta, mas não se sinta obrigado a mudar tudo. Peça opinião de pesquisadores experientes sobre o que você precisará mudar e o que você poderá refutar.

Para pesquisadores em início de carreira

Sem poder confiar em um longo histórico, seus dados preliminares serão incrivelmente importantes. Para aumentar suas chances, verifique concessões ou categorias que são específicas para pesquisadores que acabaram de iniciar seus próprios laboratórios. A seguir estão alguns outros pontos a serem considerados:

  • Acima de tudo, demonstre independência de orientadores anteriores. Certifique-se de que seus dados não se pareçam apenas com números dos artigos de seu orientador. Destaque sua capacidade de trabalhar de forma independente e a nova perspectiva que você dará à sua pesquisa. Por estas razões, não peça opinião apenas de orientadores anteriores.
  • Mencione seus recursos iniciais. Considerando que você não terá tantos auxílios anteriores, qualquer financiamento é uma boa indicação de que sua instituição acredita que você será bem sucedido.
  • Em geral, tenha muito cuidado com sua proposta. Infelizmente, seu histórico não lhe dará suporte se você não mencionar um experimento controle ou rotular algo equivocadamente.
  • Mantenha-se otimista e explique a contribuição única que você trará para a comunidade científica. A seguir está a citação de um professor assistente em início de carreira que acabou de receber sua primeira grande aprovação de auxílio à pesquisa:

“Em parte, acredito que fui bem sucedida porque ela [a proposta] abrange uma área de pesquisa que é considerada significativa, e seu foco específico é um tema no qual outros grupos não estão trabalhando. Eu tinha uma quantidade razoável de dados preliminares, mas eu não considerei que minha abordagem fosse perfeita. Acho que a importância e a inovação realmente foram o que chamou a atenção.”

Outras dicas de pesquisadores experientes

  • Evite o impulso de colocar informação excessiva. Liste todos os experimentos possíveis e, em seguida, reduza a uma lista razoável. Incluir um experimento mais fraco apenas para que a proposta aparente seja mais completa pode dar espaço a críticas dos revisores. Reserve seu objetivo de alto risco e grande recompensa para o final. Se seus primeiros objetivos forem sólidos e facilmente alcançáveis, um objetivo final mais arriscado não parecerá excessivamente audacioso.
  • Revise! Erros repetidos de digitação podem “dar a impressão de que sua pesquisa é desleixada.” Os revisores podem procurar por qualquer desculpa para colocar seu artigo na pilha do “Não”. Não deixe que a linguagem seja uma delas.
  • Certifique-se de que todo conteúdo presente tenha um propósito. Se o revisor sentir que há desperdício de espaço, eles ficam menos interessados. Destaque a utilidade dos experimentos propostos; enfatize sua proposta com descrições de novos caminhos que serão abertos com resultado de seu trabalho.
  • Nunca desista! Mesmo propostas com pontuações baixas podem acabar conseguindo financiamento, e muitas acabam encontrando seu lugar certo. Às vezes uma parte dos dados preliminares que você encontrou durante a revisão irá ajudá-lo a impressionar os revisores após a ressubmissão.
Tags Compartilhando a sua pesquisa Dicas sobre a revisão do inglês

Artigos recentes

Sobre o autor Ben Mudrak