Ben Mudrak, PhD

Ben Mudrak, PhD

Global Communications Manager

PhD, Molecular Genetics and Microbiology
Duke University

Categorias Populares

Escrevendo um artigo

Toques finais

Escolhendo uma revista

Revisão por pares e publicação

Processo de pesquisa

Etica de publicação

Página inicial | Processo de pesquisa

Colaboração científica no Brasil, 2015

Também disponível em English 한국어 日本語 中文

Resumo

Pesquisas científicas são um trabalho colaborativo. Veja como pesquisadores do mundo todo trabalharam juntos para publicar artigos em 2015.

Pesquisas quase sempre envolvem colaboração, especialmente em campos de pesquisa. A colaboração em técnicas científicas, compartilhamento de dados, e na escrita de artigos está crescendo. Uma maneira de quantificar as colaborações é verificar o número de co-autores em um artigo. Esse número alcançou um recorde de 5.48 por artigo indexado no PubMed em 2015.

Uma outra maneira de avaliar as colaborações é a observação das nacionalidades dos co-autores — há países específicos que têm a tendência de trabalhar juntos em artigos? Para abordar essa questão, nós observamos os dados sobre publicações durante 2015 no PubMed, um banco de dados que indexa periódicos de biomedicina e outras áreas correlacionadas. Dos 25 países que mais publicaram artigos, aqui estão os 10 pares de países que mais colaboraram juntos, baseando-se nas afiliações de seus autores. Apesar dos dados que suportam essa análise serem de áreas biomédicas, nós também vimos informações com tendências similares no Scopus, banco de dados da Elsevier que indexa pesquisas publicadas em todas as áreas de estudo.

  1. EUA e China (14,853 artigos)
  2. EUA e Reino Unido (11,384)
  3. EUA e Alemanha (8,421)
  4. EUA e Canadá (8,044)
  5. Alemanha e Reino Unido (7,955)
  6. EUA e Itália (5,307)
  7. França e Reino Unido (5,296)
  8. EUA e França (5,252)
  9. EUA e Austrália (5,208)
  10. Itália e Reino Unido (5,160)

Para visualizar melhor as colaborações entre autores de algumas das nações que mais publicam pesquisas científicas (tanto potências tradicionais no âmbito da pesquisa acadêmica quanto centros de pesquisa em desenvolvimento), nós geramos infográficos que demonstram essas informações. Veja as 10 colaborações mais frequentes para o Brasil, assim como mapas de colaboração em inglês para os Estados Unidos, Alemanha, China, Japão, e Coréia do Sul.

Veja o mapa de colaborações para o Brasil

Research Collaboration in Brazil

Comentários sobre colaborações

Diversos aspectos se destacam nessas redes de colaborações. Por exemplo, vários países aparecem frequentemente, sendo que os EUA, Reino Unido, França, Alemanha, e Canadá aparecem entre os 10 mais importantes para os 6 países. Como esperado, há também um pouco de regionalidade entre as colaborações mais significativas, com alguns parceiros exclusivos aparecendo entre países vizinhos: Singapura com China e Áustria, Suécia, e Suíça e Alemanha.

Finalmente, a escala de colaborações variou consideravelmente entre os nossos exemplos. Para os EUA, os parceiros colaboradores mais relevantes envolveram mais de 10.000 artigos (aproximadamente 5% de todas as publicações nos EUA), enquanto que na China, os parceiros mais importantes envolveram por volta de 2.000 artigos (1% do total das publicações chinesas). A Alemanha atingiu, proporcionalmente, números mais altos – mais de 8.000 colaborações com os seus parceiros mais significativos (aproximadamente 12% de todas as publicações na Alemanha).

Dados das Colaborações

Os dados completos que suportam a nossa análise do PubMed podem ser encontrados aqui, na coleção da AJE de Scholarly Publishing Data and Trends compartilhada no figshare.

Tags Processo de pesquisa Colaboração científica Brasil Estados Unidos Reino Unido Alemanha Espanha Canadá França Itália 2015 Conteúdo para download

Artigos recentes

Sobre o autor Ben Mudrak